COMO É UM DIA DE PRODUÇÃO EM SEU ATELIER?

Produzo sempre na parte da tarde/noite. Aproveito a manhã para meus contatos, leitura e visitas a eventos, apesar de não seguir uma disciplina rígida. Esta receita, me estimula a pintar/fotografar. Quero dizer que, tenho a necessidade de ver, falar, conhecer para depois exercitar! …Na pintura principalmente, é difícil começar, …mas impossível parar!

 

QUE ARTISTAS/TEÓRICOS VOCÊ CONSIDERA IMPORTANTES NAS SUAS ESCOLHAS?

Gosto muito do Carlos Fajardo, que me incentivou no início de carreira e atualmente Paulo Pasta, são dois artistas que respeito muito, tanto que estudo com ambos. Agora, como base para o meu trabalho, acompanho a trajetória dos alemães contemporaneos e em 2012 estudei a obra de Edward Munch, que me deu inspiração para minha última produção de pinturas.

 

QUE TIPO DE COISA CHAMA SUA ATENÇÃO NO MUNDO?

A sensibilidade das pessoas: isto não tem relação com inteligência ou talento. Simplesmente, estas pessoas + sensíveis, enxergam coisas , que a maioria não vê! …E isso cabe para todas as áreas, não só para a arte!

 

EM QUAL PROJETO VOCÊ ESTA TRABALHANDO AGORA?

Meu projeto atual, tem como inspiração as fotografias de Nan Goldin: pretendo uma pintura, com a cor das fotografias de Goldin, além da carga emocional que tráz seu trabalho. Espero conquistar um resultado que me traga uma pintura “com baixa velocidade, cores saturadas e bem granulada”, ou seja, uma atmosfera underground, sensual e solitária, porem pictórica.

 

QUE SITE COSTUMA VER?

Le Journal de la Photographie (muita novidade no mundo da fotografias, além de dicas de eventos e livros); Canal Contemporâneo e sites de alguns dos principais museus do mundo.

 

QUE MÚSICA VOCÊ OUVE?

Adoro rock classico: Rolling Stones, David Bowe, entre outros.